Veja também Ânsia de Perplexidade em:
http://naiane-julie.blogspot.com.br/

sábado, 22 de novembro de 2014

Céu lilás

                                     
                                                             google imagens


Era verão.... e dizem que é esta a estação onde - se algo há de acontecer - as coisas acontecem.
Deve ser o Sol, ele brinca conosco enquanto acreditamos que sua função direta é simplesmente nos aquecer. Talvez ele saiba que não basta aquecer a pele, precisamos desgelar a alma. E neste verão, eu esperava inspiração, um pôr- do - Sol que deixasse o céu lilás pra variar um pouco. Um pôr- do- Sol que deixasse o meu céu lilás.
E alguém ofereceu-me um pôr- do- Sol! Como eu poderia recusar?
Chovia...chuva de verão!
E depois, eu desejei que fosse sempre verão.
O único objetivo do outono é submeter a um teste o pôr- do- Sol do verão. Deixá-lo acinzentado para não esquecermos o valor que ele tem quando é colorido. Mas o melhor disso, é que pra ele voltar só depende de nós, e da nossa paciência. No outono, as folhas das árvores caem, para não esquecermos que neste ciclo infinito, algumas coisas morrem e dão lugar a coisas novas, mas as folhas que caem, adubam a terra, assim a árvore fica mais preparada para em seu tempo dar flores e frutos.
O frio do inverno desempenha uma função única. Perceber que o frio exterior pode ser ótimo, só não podemos permitir que ele penetre e atravesse a camada tênue que nos protege da influência deste frio. Para isso, é necessário certeza de que apesar de frágil, essa pouco densa camada pode passar pelo inverno e chegar a próxima e melhor estação de todas.
primavera é como o troféu para quem vence as estações anteriores, as compreende, conserva o bom, exclui o ruím. Depois do Sol, adubo, vento, as árvores ficam fortes, nutridas, sem folhas velhas, prontas para cumprir sua missão: Ensinar- nos a amar a vida.
Era verão, agora é primavera. E as quatro estações exteriores não mudaram a estação interior, meu desejo permanece inalterado, para mim não deixou de ser verão, meu céu não deixou de ser lilás!


(2010)

Naiane Julie

sexta-feira, 1 de junho de 2012

Coração de criança

Eu sempre vou esperar por você
Assim como hoje eu espero
pelo nosso dia.
Um dia desses de Sol
em que eu siga seus passos
e você siga os meus
numa espécie de dança infinita
sem espectadores

Eu espero por você.
O amor também é espera
nosso dia chegará rápido
e será igual a tantos outros
exceto pelas folhas das árvores
e pelo Sol
e pelo nosso sorriso
de convicção

Eu sempre vou esperar por você
mesmo quando achar que meu amor já é seu
a espera será a marca registrada do nosso propósito
que nunca acabará

Espero todos os dias
o próximo passo da dança
o próximo encontro da alma
o poema de criança
porque eu sei que as crianças esperam

e meu coração é de criança...

domingo, 29 de abril de 2012

Translúcido

google imagens

Sonho contigo todos os dias
E com um amor único e translúcido
com as suas veias e mãos
dedos e unhas
e com a ideia do toque e do momento
suavidade e ternura

Eu sonho com 'uma noite de verão',
com nossos passos pelas folhas secas
sob a luz fraca do pôr- do-Sol
discreta entre as árvores
Em qualquer lugar
com você
estarei em paz

Sonho com seu cabelo
com sua pele humana demais
e com as fronteiras
da sua alma
que ainda quero atravessar

É como os sentidos se comportam
que torna tudo além do limite
e translúcido
como se eu nunca fosse descobrir ao todo
e ainda assim
já soubesse de tudo...

que preciso.



domingo, 18 de março de 2012

Ventania

google imagens
     

      O vento lá fora hoje, parece louco. Quer entrar pela minha porta e invadir a casa toda. Quer conversar comigo e me contar de novo o que me comove, envolve, fascina.
      Temo dizer que é bem isso que me inspira, abrir o peito, para a inquisição. O meu pecado pode ser facilmente lido...
       Amar você é quase um tormento. O amor me comove, me envolve, me leva pelos ventos. Confesso que é um tormento. Mas que outro amor eu poderia desejar? Quero mante-lo arraigado no meu peito, tanto, que a natureza não permite. Nos fez assim: toda alegria extrema beira os limites da tensão..
         Aceito então! Abro a janela, abro as portas, que entre o ar!
         Seu amor é meu alento...
         Quero ser levada pelo vento.


Naiane Julie
Verão 2012

sábado, 21 de janeiro de 2012

Enquanto houver Janeiro

google imagens

Quero viver no tempo mas todo mês é Janeiro, depois de um janeiro em que tudo -absolutamente- mudou. Quero a espiral do tempo mudando meu rumo, fazendo contornos, vibrando à luz do crepúsculo e diante da vida, mas toda cor que brilha é a cor de Janeiro, brilha do mesmo jeito que começou nosso desejo indeterminado...agora definido.
Brilha como esse símbolo que deixamos em nossas mãos, brilha como meus olhos quando falo dos nossos sonhos compartilhados e do nosso propósito em partes consagrado.
Você brilha pra mim na multidão, ensina-me o quanto fui favorecida e o quanto há coisas que 'valem a pena e o preço terrestre'¹.
'O preço terrestre'...
Eu inspiro conforto quando você está por perto.
Alma quieta e branda, só você tem a quietude que me ilumina.
De tão irremediável eu digo: Sim! De tão sublime, inexcedível...
Todo mês é Janeiro... e eu te amo todo dia.

Naiane Julie


1) Drummond.

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Mais uma dose

 
google imagens

Um dia de chuva e caprichos
Pra falar e escutar
e depois da brincadeira
questionamos se o sossego
-iria continuar-
de amar a pessoa certa
na dose certa.
Essa noite eu quero oito doses
pra talvez atenuar
meu ávido coração.
Mas com voz e vento,
sem sombra e abrigo
sem qualquer telhado no nosso esconderijo
Mais uns oito mil encontros
cheios de caprichos.

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Desconhecido


          Por um instante... um instante, assim mesmo, passageiro, insignificante em tempo como um instante é... olhei para os teus olhos de perto, mas não tão perto a ponto de perder os sentidos, e pensei: "quem é você?", "como viemos parar aqui?". E entao, nesse breve mas notório segundo, deixei a dúvida pairar em meus pensamentos, e fui sentindo-a intencionalmente, boa, memorável, percorrer nossa história que respondia entorpecida quem você é e o que estávamos fazendo sentados olhando um para o outro. Talvez você não tenha notado, tavez tenha concluído que era apenas um olhar, mas sem dúvida viu algo de sorrateiro, disfarçado num sorriso de canto de boca. Neste momento, me permiti ver o desconhecido, e eu pude ultrapassar as barreiras do tempo...congelando, eternizando o instante.
        E depois, todo esse pensamento se desfez como fumaça em meio ao emaranhado de respostas às perguntos que me permití experimentar num instante. A vida transformou-se de novo no presente (se ele existir), mas, melhor do que isso, transformou-se no presente livre de dúvidas ou  medo... 'o desconhecido' tornou-se o mundo inteiro....

 
Naiane Julie
Primavera de 2011

domingo, 14 de agosto de 2011

Sentidos

google imagens

Apesar de ínfima a vida que levamos, quanto mais livre sinto meu corpo, reflexo da liberdade da alma, todos os meus Sentidos passam a significar a audácia da liberdade.
Estou sempre à expectativa do que há do outro lado, aonde nascem as constelações, de onde surgem os ventos fortes, de que a vida me inspire e, que tal inspiração, ensine-me à liberdade da alma e em consequência, do corpo.
Por isso, sua presença é como desejo minha vida. Permite-me viver nesse único jeito que conheço. Sua presença permite-me ser livre porque ensina-me a explorar todos os Sentidos, do lugar misterioso de onde partem até a definição deles em toques, cheiros, cores, vozes e sabores.
Esse amor é a melhor forma que existe de proliferar vida em todos os espaços possíveis.
Eu ouço a música viva em nossa história, com o mesmo desejo de eternidade das estrelas. Minha memória sente o cheiro de liberdade.
Todos os meus sentidos livres.


Naiane Julie
Inverno 2011

domingo, 24 de julho de 2011

Da forma mais rara

Para você que odeia obviedades
devo dizer de outra forma.
Da forma mais rara
Para a pessoa mais rara
Que amor
Te ...
Amor
Te
Amo
Amor
Meu
- Amo-te!

Devo levar algumas estrelas
para nossa casa e ascender
velas.
Encontrarei velas que
nunca derretam completamente.
Devo vestir
algo com púrpura,
uma ou outra luz teatral.
Sei que em nossa janela haverá
um Sol único,
o mesmo nunca óbvio.

Encontraremos força no caos
força em nossas vidas.
Quando um fôlego só
invadir as janelas
e aspirarmos certezas remotas.

Trarei de uma fagulha qualquer
de esperança
Uma vida de propósitos
Amor
pra dizer-te que
Amo
Meu
Amor
Que eu
Meu Amor

Amo-te.


Naiane Julie

terça-feira, 5 de julho de 2011

Sementes de um mundo

  


           A vida existe entre o holocausto; enquanto o universo natural partilhado pelo céu azul, é calmo e claro,  vivemos a insípidez de lutar constantemente por um pedaço do céu na terra, da lua no espaço de um abraço. Perspectivas.
            Eu sonho em ser forte como o Sol dos teus olhos que estão constantemente transmitindo-me o futuro, e dele faço um coletivo de esperança, eu tenho uma felicidade boba... e boa. (Tenho fé em nossos alicerces de hoje).
           É graça essa farsa constante do mundo.  Diante do mundo deste segundo- portentos, sonhos- tudo parece ansioso pelo estouro colateral de um próximo passo de dias fortes e claros.
           Onde quer que eu esteja amanhã e ainda que misturem-se os tempos, os sonhos, os dias; terei essa força vingando a nudeza da vida, e mais do que um segredo inserido em minha mente e implantado em meu peito pelo doce sentimento proveniente do nosso universo particular, eu quero o dia de hoje, quero os dias dos dias de amanhã.. Os dias que brotam das sementes lançadas de todos os anteriores, nosso jardim se aproxima..

domingo, 19 de junho de 2011

Simultâneo


            O amor existe dentro da vida, de nossos campos pragmáticos, do intervalo enigmático entre a desculpa do cansaço e o verdadeiro cansaço. Eu encosto a cabeça no travesseiro e penso em como aumentar meu amor. Porque de mim partindo para o mundo e de todos partindo até chegar um fragmento em mim, faria uma - ainda que inexata- diferença.
          E o meu amor por você é difícil traduzir. Quero que saiba todos os meus segredos e que eu saiba todos os seus, mas assimilar tudo isso é constante e infinito. De vez em quando gostaria de apenas te olhar, de perto sim, mas só olhar. Para que tudo seja dito sem nada ser falado, eu consigo adquirir forças só nesta ideia, pois olhando pra você posso quebrar em meu coração todo o metal que o ensurdecedor som dos vícios trazem, e olhando pra você eu consigo renovar a essência do meu amor. E depois, partindo de mim pra você e de você pra mim, eu descubro de novo para que vale a vida.
       

Naiane Julie

domingo, 15 de maio de 2011


Minha utopia escrevia com a polaroide
dois cliques e um terço de criatividade...
Eu já tinha desenhado o amor
antes mesmo dele nascer
e a imagem já era até clipe
na TV....


Naiane Julie

terça-feira, 10 de maio de 2011

Simples assim...


      Todas as minhas expectativas sobre o tempo misturam- se neste momento. Ele é sempre tão ingrato. Deveria se expandir quando preciso e passar rápido quando minha vontade excede essas areias lentas.          
      Falar dele é inevitável, porém não há merecimento. Gostaria de ignorá-lo, de que não detivesse tanto poder. Estes dias tenho sonhado com ele. De alguma forma, sei que tudo que tenho sonhado consiste em um pensamento lógico, compassado com ele, cada nova fase e lá está, surgindo como um reflexo de dias e meses, de momentos, perpetuamente ele. 
    Estou sempre o ligando a você, a nossa força positiva e a nossos anseios. Meus medos mudam com o passar do tempo. Algumas coisas estão intactas. De qualquer modo, quero mais felicidade e sei que dependo dele para isso. Eu sempre peço a ele que não me iluda quando estou com você, que seja justo.... e lento.
     Simples assim....

Naiane Julie
Outono 2011

segunda-feira, 25 de abril de 2011

Propósito em (nossa) verdade

            

          Minha memória quer involuntariamente ter seu rosto, sua forma, nos momentos que gravar. Ela gravará a forma refletida no corpo. Despida quero tua alma - querer elevado demais para uma verdade que nunca deixará de ter imperfeições-.  Quero tua companhia neste  fazer, tomar, lutar em prol da vida, falando da pura existência, pura como esquecemos algumas vezes de vivê- la, e depois os sonhos em consequencia  (e não o contrário).
           Temos a opção de alguns atalhos, mudanças de planos, transformações. Sem dúvida, queremos que evolua, dentro de nossa verdade que conduz a um propósito há muito espaço para evoluções.
          O fascinante é que pensar em nosso propósito é como vivê- lo, antecipá- lo no coração, estar alerta, e ter um pouco de fantasia, a propulsão humana mais fiel à um caminho de felicidade.
           Não quero apenas estar com você o máximo possível, desejo que esteja presente em nós a capacidade de unificar nossa essência, essa que às vezes se desgasta pelas difluências da vida. O propósito contém a substância da renovação.
            Depois, existe esse sonho misterioso que me invade em algumas noites. Transformo-me numa manequim de loja, vestida de uma roupa qualquer, não posso me mexer, só ficar lá esperando que comprem a roupa que me veste e vou saber que continuarei lá intacta.
          Veja bem meu amor, se eu não me movimentar para a construção e realização de nossa verdade, serei meu pesadelo. O contrário ocorre agora. Isso faz-me sentir perto da paz do teu sono; quando você fecha os olhos e então eu sinto a vida girando em seus sonhos. Mais que a intensa sensação de paixão, eu passo pelos pensamentos pelo que se toca e depois, penetro ao crepúsculo de sua alma. O propósito também é navegar por esse mar na direção do Sol. Fico longe da costa quando sei teus segredos e então, descubro um propósito em nossa verdade.


Naiane Julie
Outono 2011

sexta-feira, 1 de abril de 2011

Depois da chuva


A palavra Sopro costuma ter para mim a conotação de algo excessivamente bom. Como se fosse isso que a vida significasse, da agitação atmosférica à flauta ecoando de cima de uma montanha, de uma voz sussurrando baixinho no ouvido ao segundo que antecede o beijo, essa mistura de momentos de sopros, transforma a vida num único sopro.
Depois da chuva, os telhados sopram vida para o céu, e o mundo inteiro se transforma no musical que eu ouvi quando era criança. A chuva é sempre bem vinda.
No crepúsculo de fim de tarde o Sol sopra, contando uma última estória para o dia, se fechamos os olhos e ouvimos, percebemos que ela nunca se repete, que é sempre uma estória nova.
É assim quando te encontro, parado, esperando minha chegada. Nós sabemos, apesar de não ter sido compartilhado tal pensamento, que o que queremos é um momento de Sopro. E todos eles são quando estou com você. Se eu fechar os olhos- ainda agora posso fazê- lo e sentir o mesmo-, é como se uma brisa bagunçasse meu cabelo, é como sentir o hálito do mundo, falando algumas palavras baixinho, de repente a vida parece perfeita, eu não tenho frio, nem medo, nem angústia. A vida sopra no meu ouvido....

quarta-feira, 30 de março de 2011

João de Barro



"O meu desafio é andar sozinho
Esperar no tempo os nossos destinos..."

"Traz nas asas um novo dia
Me ensina a caminhar..."

....

segunda-feira, 28 de março de 2011

I Can't Help Falling In Love With You


Não Posso Evitar Me Apaixonar Por Você

Homens sábios dizem que somente tolos se apressam
Mas eu não consigo evitar de me apaixonar por você
Devo ficar?
Seria um pecado?
Se eu não consigo evitar de me apaixonar por você

Como um rio que corre para o mar
Querida, isso segue
Como as coisas devem ser
Pegue minha mão, pegue minha vida toda também
Pois eu não consigo evitar de me apaixonar por você

Como um rio que corre para o mar
Querida, isso segue
Como as coisas devem ser
Pegue minha mão, pegue minha vida toda também
Pois eu não consigo evitar de me apaixonar por você
Pois eu não consigo evitar de me apaixonar por você

domingo, 27 de março de 2011

Além de nós



O amor às vezes arranha. Desce seco na garganta. Porque esperamos que ele seja o que nos garantiram os contos de fadas, os filmes, nossos próprios sonhos. Queremos sempre ser compreendidos. Mas precisamos primeiro nos compreender. Imaginava que o amor deveria ser perfeito, e que era a única coisa perfeita que podia existir em seres imperfeitos. Estava enganada. Não existe amor perfeito em seres imperfeitos. Existe esforço constante.
Acredito fielmente, desenfreadamente no amor. Mas eu quero vê- lo exatamente como é. Para depois não negá- lo, ou zombar de sua imensidão, quando não fui capaz de entender que o amor é frágil, que está sempre buscando aquilo que não pode ter.
"É tudo uma questão de convivência", "é tudo uma questão de confiança", "é loucura intangível e inexplicável", "é dor", "é fortaleza", "é fato".....
É tudo isso, eu concordo... Me diga o que é pra você, e eu vou dizer: Esta é sua forma de amar, quem poderia desmentir?
Mas depois de toda a casca, todo humano que existe camuflando a força sobre- humana que entra nos ossos, que entra no sangue, gostaria de ver com olhos especiais. Gostaria de enxergar a alma. Lá no fundo, eu sei que existe, quase morto, sufocado, maltrapilho, o amor de verdade, esse que só aparece quando estamos no limite, quando acabou todo o orgulho, quando se foi todo o instinto. Eu falo do amor além de nós.
Além de nós, mas dentro de nós...


Naiane Julie
Outono de 2011

quarta-feira, 23 de março de 2011

Do tamanho de


Quando diz que sou importante, acredito
imediatamente
Mas minha mente quer tangível, um número exato, uma métrica correspondente,
objeto, volume, dimensão

Você é tão importante, com uma importancia do tamanho
desse medo que eu sinto.
De não ter seus pensamentos, de não estar em todo momento,
De que tenha um livro, um filme, amigos
suplentes
que ocupem o espaço, que egoísta
quero todo e tão grande
quanto o espaço que ocupa
em mim.

Tão grande é quanto te quero,
assim como o brilho em dias de Sol
desses girassóis que plantou em meu jardim.
Quando você está, eles desabrocham
numa verdade gratuita,
Com a mesma cor e a mesma medida
do seu sorriso, que dura pra sempre.

Eu ouso escrever em verso
Mas o tamanho sempre é inverso
Se o outro lado for ainda maior.
Eu quero medir o tempo
saber o tamanho do amor.
E para onde as pontas cruzarem tecendo o infinito
Eu vou.


Naiane Julie
Outono de 2011

segunda-feira, 21 de março de 2011

A cidade da brisa

        
           Era uma cidade do interior, onde o vento soprava rasteiro todas as tardes. Por isso, era conhecida como a cidade-da-brisa. E era a brisa mesmo que erguia de leve os cabelos soltos da pouca gente que passava pela estrada de terra principal. Às vezes, as pessoas vinham em busca de paz, outras vezes, de muita paz. Mas o amor não é sinônimo de paz.
           Ela veio vender seus artesanatos e ninguém perguntou seu passado. Ela ficou por muitos anos e nunca alguém fez perguntas escrutinadoras. Então ela não tinha passado, ela era somente o dia que não se repetiria, e isso parecia bom. Mas, nada é imutável, e um dia a cidade conheceu o maior vento que já havia passado por alí. Ele até derrubou uma árvore antiga que já meio torta, despencava sobre a praça do centro. Era Janeiro. O vento levou a poeira de muitos sapatos. Bagunçou alguns telhados, reduziu uns espaços, expandiu umas dúvidas.
           É assim que o amor é vida e vento, que sopra na cidade de nossa alma. É assim que o amor é fúria e ímpeto, e tem algo nostálgico e ruím nesta imensidão que ele expõe. Mas é assim que o amor é livre. E galga como o vento, arremessa os velhos pensamentos, enche a mente depois de esvaziar.