Veja também Ânsia de Perplexidade em:
http://naiane-julie.blogspot.com.br/

quarta-feira, 9 de março de 2011

Manifestando um propósito

    
          O lago cintilava à luz da Lua, enquanto isso, eles pensavam olhando para o ilimitado espaço de uma alma ora ansiosa, ora disposta. Aquele momento era uma amostra de como chegar o mais perto possível da farta alegria. Era como a alegria mostrava suas cores, o melhor modo dela fluir. E fluía dos poros da pele, do azul escuro do céu noturno, das mãos levemente encostadas, do aperto no peito pela hora próxima da partida. Corria na mente visões de uma próposito. Os planos não estavam claros. Mas o propósito brilhava mais que o dia que logo iria clarear. Era como a porta de um mundo novo logo à frente, mas a chave ainda estava sendo fundida à ferro e fogo, assim como a vida é.  À parte os fatos, havia diariamente o entusiasmo do propósito incrustado no peito, elevando a voz quando alguém perguntava (é bom falar de um propósito).
           O amor dizia isso: equilíbrio, respeito, união, compreensão, ternura, reciprocidade, criatividade, esforço. E isso ecoava dentro do címbalo no peito, e o atrito das palavras colidindo com o ar, manisfestando um propósito tanto intacto quanto indestrutível...
           Era a voz o melhor som, o rosto a melhor imagem, o cheiro o melhor aroma, a pele a melhor textura...
           Um propósito não muda, ele é preciso e sustentado com uma forte audácia.
          Melhor que viver é viver tendo um propósito. Melhor que ter um propósito é ter um propósito compartilhado.
            A mente cintilava com a luz do lago e da Lua, o coração batia compassado ao som de um propósito.

Naiane Julie
Verão de 2011

2 comentários:

  1. mudamos de ideias e de amores, mas não de princípios.

    ResponderExcluir
  2. Que bonito, Naiane! Gostei mto, principalmente desta parte: "Melhor que ter um propósito é ter um propósito compartilhado."

    ResponderExcluir