Veja também Ânsia de Perplexidade em:
http://naiane-julie.blogspot.com.br/

domingo, 19 de junho de 2011

Simultâneo


            O amor existe dentro da vida, de nossos campos pragmáticos, do intervalo enigmático entre a desculpa do cansaço e o verdadeiro cansaço. Eu encosto a cabeça no travesseiro e penso em como aumentar meu amor. Porque de mim partindo para o mundo e de todos partindo até chegar um fragmento em mim, faria uma - ainda que inexata- diferença.
          E o meu amor por você é difícil traduzir. Quero que saiba todos os meus segredos e que eu saiba todos os seus, mas assimilar tudo isso é constante e infinito. De vez em quando gostaria de apenas te olhar, de perto sim, mas só olhar. Para que tudo seja dito sem nada ser falado, eu consigo adquirir forças só nesta ideia, pois olhando pra você posso quebrar em meu coração todo o metal que o ensurdecedor som dos vícios trazem, e olhando pra você eu consigo renovar a essência do meu amor. E depois, partindo de mim pra você e de você pra mim, eu descubro de novo para que vale a vida.
       

Naiane Julie

4 comentários:

  1. Olá, desculpe invadir seu espaço assim sem avisar. Meu nome é Nayara e cheguei até vc através do Blog desinformação seletiva. Bom, tanta ousadia minha é para convidar vc pra seguir um blog do meu amigo Fabrício, que eu acho super interessante, a Narroterapia. Sabe como é, né? Quem escreve precisa de outro alguém do outro lado. Além disso, sinceramente gostei do seu comentário e do comentário de outras pessoas. A Narroterapia está se aprimorando, e com os comentários sinceros podemos nos nortear melhor. Divulgar não é tb nenhuma heresia, haja vista que no meio literário isso faz diferença na distribuição de um livro. Muitos autores divulgam seu trabalho até na televisão. Escrever é possível, divulgar é preciso! (rs) Dei uma linda no seu texto, vou continuar passando por aqui...rs





    Narroterapia:

    Uma terapia pra quem gosta de escrever. Assim é a narroterapia. São narrativas de fatos e sentimentos. Palavras sem nome, tímidas, nunca saíram de dentro, sempre morreram na garganta. Palavras com almas de puta que pelo menos enrubescem como as prostitutas de Doistoéviski, certamente um alívio para o pensamento, o mais arisco dos animais.



    Espero que vc aceite meu convite e siga meu blog, será um prazer ver seu rosto ali.

    http://narroterapia.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Olá segui seu blog, achei bastante criativo...
    Queria que você seguisse o meu tbm:
    http://niltonbandeira.blogspot.com/

    espero que goste :*

    ResponderExcluir
  3. Nayara passei no blog Narroterapia e gostei muito com certeza irei visitá-lo mais vezes....


    O blog quase pensamentos é um doce, espero q continue com os textos, abraços!!!!

    ResponderExcluir